A Estrada (The Road – John Hillcoat, 2009)

“A Estrada” me despertou interesse de uma forma curiosa… por saber tratar-se de uma adaptação de um livro de Cormac McCarthy (mesmo autor do livro em que foi baseado a obra-prima dos Coen, Onde os Fracos Não Têm Vez), do qual, curiosamente e lamentavelmente, não li nada, por pura falta de oportunidade, mas enfim, saber que grande parte do filme dos Coen saiu daquela mente, foi praticamente suficiente pra me instigar, juntando a isso o elenco encabeçado por Viggo Mortensen e pronto, estava feita a sessão. A diferença fundamental era na direção, em Onde os Fracos Não Têm Vez, grandes realizadores e em A Estrada, John Hillcoat. Diretor bastante desconhecido e com pouca experiência com cinema, no entanto, com larga e boa experiência musical, algo que reflete e muito bem em seu filme. Viggo Mortensen (jamais é mencionado o seu nome ou de qualquer outro personagem) interpreta um homem que juntamente com seu filho pequeno, percorre um país devastado por eventos climáticos e com raríssimos sobreviventes, dentre eles, a grande maioria tornaram-se selvagens, e até canibais (na falta de outras fontes de alimentação), enquanto que Mortensen procura educar seu filho em meio a tudo isso da melhor forma possível, é válido traçar um paralelo deste filme com o recente do coreano Bong Jon-hoo,“Mother”, onde a figura materna é tratada e sintetizada da melhor forma que já tive oportunidade de ver, aqui troca-se a mãe pelo pai e temos um resultado similar. Apesar das dificuldades enfrentadas com clima, comportamento e tudo o mais que se pode esperar por um mundo praticamente morto e sem abundância de fontes para sobrevivência, “o pai” jamais esmorece (com uma única exceção numa situação limite) em sua postura sempre positiva e procurando passar força ao seu filho, mesmo que tais preceitos morais provavelmente jamais tenham grande aplicação, tendo em vista a expectativa de vida que essas pessoas têm – quase nula.

A Estrada é, portanto, uma bela alegoria do amor de um pai por seu filho, tentando sempre cultivar o melhor nele, com os melhores exemplos possíveis, jamais se entregando a selvageria que toma conta do mundo, pena que, justamente nessa coisa “pai e filho” o filme acabe pecando pelo excesso, já que me incomodou relativamente bem o personagem do filho em determinados momentos, nada que não seja abafado pela bela fotografia em tons laranja-cinza-vermelho (sempre gélidas) no presente e, no passado, durante os flashbacks, com bastante brilho, luminoso diria, dando o tom óbvio da diferença de sentimentos que os personagens experimentam antes e depois dos eventos cataclísmicos e pela bela inserção de Robert Duvall, no que considero o melhor momento do filme. Enfim, se Mad Max fosse um drama, seria “A Estrada”.

3/4

Tópico

Djonata Ramos

8 Comentários

Arquivado em Comentários

8 Respostas para “A Estrada (The Road – John Hillcoat, 2009)

  1. Ranieri Brandão

    Peguei esse filme nessa semana. Ainda não vi, mas tô com vontade.

  2. Djonata Ramos

    não é um monumento, mas é bem bom, vale as duas horas investidas.

  3. Maicon

    belo texto! adicionei o filme à lista “multiplot”, essa ja conta com 26 títulos hehe

  4. djonata ramos

    haha, que coisa. até o fim do ano tem uns 200 títulos aí, cara.

  5. Maicon

    essa é só a lista “multiplot”, tem a lista “Dalpizollo” com 56 filmes, a lista “clássicos” com 23, a lista “minha vontade” com 12 e a lista “2010” com 5. Eu to tirando o atraso esse ano. Todas organizadas em arquivos .TXT que ficam no lado direito do desktop, prontas a serem atualizadas à qualquer entrada aqui ou no cineplayers. Soma ai, num tem 200, mas logo chega!

  6. djonata ramos

    Jesus. mas a “minha vontade” ter menos que a “Dalpizzaiolo” é burrice, troca isso aí. o dan não sabe nada.

  7. Maicon

    haha como eu disse no Forum, ainda sou “aprendiz de cinéfilo” e altamente influenciável por uma crítica bem escrita!

  8. Daniel Dalpizzolo

    Ouça o DJ, toma cuidado com essa lista!!!!

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s