Onde Vivem os Monstros (Where The Wild Things Are – Spike Jonze, 2009)

Esse filme causou um efeito estranho comigo, o primeiro acho que a palavra mais certa é agradecimento, ao Jonze, por ter conseguido algo que eu ainda não tinha visto no cinema, que é a perfeição em transformar em imagem todo o universo fantástico que é a mente de uma criança, esse universo que não tem limites. Foi uma viagem mesmo ao meu próprio imaginário, de quanto tinha uns 5, 6 anos, da época em que tudo ganhava outra conotação, outra dimenssão, onde formas comuns poderiam ganhar tons fantásticos, onde lugares comuns poderiam se transformar em cavernas, castelos, fortalezas submarinas e etc, e isso sem ao menos precisar fechar os olhos. Onde a brincadeira se torna tão real que por vezes tu se emociona com ela, tu fica com medo dela. E o legal mesmo é que ele não filma isso de uma forma superficial, no sentido de apenas entregar a idéia, não, ele realmente se entrega, ele faz algo semelhante ao Lynch quando puxa seus pesadelos pra tela, só que aqui regressa até a infância e puxa os sonhos (e até pesadelos) da forma mais fiel possível, que é transbordando pureza, que é realmente entendendo o imaginário de uma criança. E monstrando em imagens isso.

E tem o outro efeito que causou em mim, que eu não vou chegar a dizer que é desagradável, mas sim estranho. É o afastamento, o quanto distante aquilo que eu vejo na tela está com o que eu me tornei hoje. Quando eu saí do cinema falei pra minha amiga que se eu tivesse assistido esse filme com os meus 5 anos, seria o filme da minha vida, mas agora, pensando melhor, eu acho que ele é justamente pra quem já passou por isso, uma última oportunidade que o Jonze te da de relembrar o teu inconsciente infantil. E falo relembrar mesmo, não viver, e é por isso que digo que é estranho. Pq tu entra nesse universo com o cinismo que tu adquiriu, um certo cinismo que fica impossível desvincular. Tu sorri enquanto vê eles brincando de guerra de lama, ou construindo uma fortaleza com pedaços de árvore, mas não se emociona da forma que se emocionaria caso ainda fosse uma criança, no sentido de desejar estar vivendo aquele momento. O que tu sente é semelhante a olhar uma gravação antiga tua, criança, em um churrasco de familia, na piscina, etc, só que aqui ele filma o que não poderia ser filmado, o que tu lembra vagamente em ter “passado”, em ter “existido”, mas não poderia ter sido feito por um registro de câmera. Bom, agora ele fez.

Repetindo, eu ainda não tinha visto isso no cinema. Poderia citar A História Sem Fim como um filme que se aproxima nesse sentido, mas não, o que acontece nesse aqui transcende tudo isso. Esse filme tem que ser respeitado.

3/4

Thiago Duarte

2 Comentários

Arquivado em Comentários

2 Respostas para “Onde Vivem os Monstros (Where The Wild Things Are – Spike Jonze, 2009)

  1. enxak

    Fiquei curioso. Já tem em DVD?

  2. Thiago Duarte

    acho que ainda ta no cinema.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s