No Silêncio das Trevas (The Spiral Staircase – Robert Siodmak, 1945)

Uma porção de momentos geniais girando em torno de um miolo que consome boa parte dos 80 minutos só pra construir um whodonit redondinho e imbecil. Eu não vou me conformar. Os primeiros 15 minutos são intocáveis, e só pelo resto da noite se seguir no meio de um temporal cheio de personagens pitorescos dividindo uma casa enorme com um assassino espreitando cada um dos inúmeros cantos escuros cuja vítima escolhida é uma mulher que não pode gritar ou chamar por socorro pelo fato de ser muda eu não posso deixar de ficar completamente puto por No Silêncio das Trevas ter perdido a chance de ser obra-prima.

É deslumbrante, cada plano meticulosamente bem composto, movimentos de câmera dignos de um De Palma ou Argento (em certo momento ele encarna a subjetiva de um jeito que me lembrou de cara Prelúdio Para Matar, e estamos na década de 40 aqui porra), e o modo como o filho da mãe ilumina a velha mansão cheia de detalhes, portas, cantos e reentrâncias sugerem que a qualquer momento um vulto vai pular do meio da escuridao. E os parcos dois assassinatos são as coisas mais lindas do mundo, em especial o segundo quando ele “censura” a imagem preenchendo de sombras a tela enquanto deixa apenas as mãos da vítima iluminadas e se contorcendo de desespero. É de fato uma poesia das variações de claro e escuro, da fotografia, das luzes e das sombras e dos relâmpagos e ranger de portas e passos invisíveis circulando nas trevas.

Não tem como não odiar esse filme.

3/4

Luis Henrique Boaventura

Screenshots!

É início de noite e um temporal se arma no horizonte quando o serial killer do vilarejo ataca novamente, em uma casa onde no andar de baixo boa parte do povoado assiste a The Sands of Dee (D. W. Griffith, 1912). Entre eles está uma jovem muda. Na cena abaixo, ela volta sozinha para casa, enquanto alguém a segue. No escuro. Silenciosamente.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Comentários, screenshots

3 Respostas para “No Silêncio das Trevas (The Spiral Staircase – Robert Siodmak, 1945)

  1. Que filmaço ! Vi na faculdade, fui atrás do dvd (e não achei rsrs).

  2. Eu peguei no mkoff, uma santa alma postou por la.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s