A Órfã (Ophan – Jaume Collet-Serra, 2009)

Entrando no embalo do terror psicológico, assisti a essa pequena porcaria ontem e decidi escrever um pouco a respeito porque vi comentários bastante positivos e não consigo entender por quê.

As falhas começam logo de início. Vera Farmiga está péssima no papel, ela não transmite as emoções da personagem de forma a envolvê-lo com a personagem. Aí fica ela lá e você aqui.

O início que era para ser de fato impactante, surge como algo tão bobo e superficial que já anuncia as besteiras subsequentes.

E o filme não caminha bem em NENHUMA parte, é impressionante como o diretor parece querer fazer um filme absolutamente encaixadinho e inteligente e como o resultado é uma sequência forçada de fatos, personagens incrivelmente estúpidos (qualquer idiota veria que há algo “diferente” com a menina – se aquela mulher é formada em psiquiatria, eu sou doutor sem fazer o curso, porque as estratégias de manipulação dela chegam a ser imbecis) e uma sucessão de eventos tolos.

E, naturalmente que, pela falta de criatividade para uma estória realmente aterrorizante, são criados personagens que parecem estúpidos. Eles são o sustentáculo e precisam ser estúpidos para se situarem nas situações igualmente estúpidas.

Tudo é então encaixadinho e acontece uma série de coincidências que enfatizam e ampliam o poder da garota sobre a família. Mas é forçado DEMAIS. Sabe aquela plausibilidade que ocorre estranhamente NO MOMENTO CERTO? Tipo, em determinado momento a personagem de Vera Farmiga compra duas garrafas de vinho – é plausível para o pesadelo psicológico que ela está vivendo – mas absolutamente forçado ocorrer no exato instante que aquilo iria ser usado contra ela.

Há um problema gravíssimo com alguns filmes de manipulação. A intenção é deixar o espectador puto com a ação da pessoa manipuladora e suas conquistas enquanto todos parecem não enxergar o que é óbvio. É uma estratégia perigosíssima quando o filme é levado à sério demais pelos próprios personagens.

Primeiro porque se a manipulação não for muito inteligente ela pode soar estúpida e forçar os personagens a serem estúpidos para suportá-la, criando um ciclo, como o caso desse aqui. Segundo é o “levar a sério”. Você pode manipular o espectador a ficar morrendo de raiva de personagens estúpidos de forma consciente.

O melhor exemplo para mim é aquele filme maravilhoso do samba do crioulo doido indicado pelo Luis – com zumbis, criaturas fantásticas, inferno, portões dimensionais, paranormais, etc (me esqueci o nome) – onde o personagem principal tem um número limitado de balas, atira nos zumbis, percebe que eles só morrem instantaneamente quando atingidos na cabeça e CONTINUA insistentemente ATIRANDO EM OUTRAS PARTES DO CORPO deles e gastando as balas inutilmente. Fica explícito que essa peculiaridade do personagem, essa falta de raciocínio simples foi pré-fabricada com intenção explícita e funciona incrivelmente bem, você quase morre querendo entrar na tela, pegar a arma e matar os zumbis você mesmo.

Para concluir, um exemplo de filme onde a manipulação funciona muito bem nos moldes supracitados, com uma estória inteligente, personagens racionais e plausíveis, tornando tudo surpreendente é o magnífico “The Usual Suspects”.

0/4

Silvio Tavares

Anúncios

46 Comentários

Arquivado em Comentários

46 Respostas para “A Órfã (Ophan – Jaume Collet-Serra, 2009)

  1. Pra esclerecer ali no penúltimo parágrafo, ou muito me engano ou o Silvio tá falando de Terror nas Trevas, do Fulci. Hehe

  2. Suelem Sousa

    O filme é show!!! Os comentários que dizem q o filme é ruim, realmente não prestou atenção no filme, pois o que o filme relata uma mulher que se passa por“criança adotada”, não tem nada haver o que más línguas andam dizendo que o filme desistimula adoção de crianças mais velhas. Isso é mentira. Mostra uma mulher com um distúbio hormonal chamado hipopituarismo ao qual faz a pequena órfã parecer ser uma criança de 9 anos mas na verdade tem 33 anos. Por isso quem faz xomentários ruins do filme não entendeu nada, assuntos interresantes levam a grandes bilheterias. Falar de uma doença rara, por exemplo! Pois até as páginas de pequisas da internet deixam a desejar sobre tal distúbio.

  3. Suelem, eu entendi perfeitamente o filme, e acho que você não entendeu bem o comentário, aliás, você revelou o segredo do filme. Como eu disse, não é por falar em um tema original que o filme seria ótimo ou sensacional, aliás, existe uma GRANDE diferença entre tema e execução.

  4. Noelly

    Caro Sílvio, criticar demais demonstra pouca inteligência e necessidade de parecer “cult” hsuahsu
    O filme foi extremamente bem conduzido, os personagens muito bem contruídos e o clima de suspense funciona!
    Isso que importa!

    Tu menciona a cena do vinho;
    foi uma cena muito bem colocada para servir de suporte na descrença envolvendo o personagem da mãe e fortalecendo o personagem Esther.

    Eu acredito que o único erro do filme foi ter feito da menina uma adulta, pois as atitutes aterrorizantes dela perdem um pouco o impacto ao sabermos que partiram de uma mente adulta e não infantil.

  5. djonata ramos

    scofa quer ser cult! haeuahueaue

  6. djonata ramos

    e criticar demais demonstra pouca inteligência quando a crítica é gratuita e sem embasamento, ué.

  7. dugatodesign

    fraco mesmo o filme, concordo.

    tá osso ultimamente, so querem saber de refilmar (e estragar) os clássicos.

    um filme bom que vi recentemente foi baby blues e fala sobre depressão pos parto. sinistro e altamente plausível.

  8. Discordo em absoluto da critica negativa feita a este filme. Mas enfim, os críticos servem para isso mesmo, para criticar tudo e mais alguma coisa. Quais seres superiores, iluminados pelo dom da clarividência e da verdade suprema.
    Se viu tantos comentários positivos e não consegue entender porquê… só pode ser porque nós, comuns mortais, ao contrário de si, somos muito estúpidos e básicos, não acha?!
    Desde quando um filme ser realista e lógico é defeito? Se se descobrisse que a criança era um ser do além com poderes extraterrestes seria melhor?! Ou se o filme nao tivesse lógica nenhuma?!
    Se não gostou desta “porcaria” de filme, paciência, simplesmente faz parte de uma insignificante minoria de pessoas com essa opinião e eu também não gostei da “porcaria ao quadrado” do seu comentário mas tive que levar com ele.

  9. iasmin

    concordo plenamente ridiculo apessar de eu conheçer uma pessoa que tem isso

  10. lulu

    é estranho, algumas pessoas pensam que sabem tudo e podem criticar tudo…
    Ah é são criticos de art.

  11. Sílvio Tavares

    Porque não vim antes aqui para ler isso? Me diverti pacas. Já sou cult e até crítico de cinema sem nunca ter entrado numa escola para tal, hahah.
    Gente, a intenção do multiplot é que nós não somos críticos de nada, somos pessoas comuns iguais a vocês.
    Dito isso, eu achei uma bosta o filme. E eu entendi, lógico, Noelly, que a cena do vinho foi colocada ali para ampliar a descrença na mãe, o que questiono é o momento conveniente pra isso.

  12. Lucas

    filme muito bom mew!!!!
    só axei a doença um tanto quanto forçada embora a doença exista
    ela poderia ser só uma criança doente
    mas muito bom mesmo
    pra vc fazer uma critica decente vc precisa se colocar na realidade do filme
    não ver superficialmente
    eu vi e roí todas as minhas unhas!!!
    mas é muito inteligente mesmo

  13. jair

    Me desculpem , achei o filme tragavel sim , mas nada fantastico como falaramm..mas o que me arrepiei mesmo foi a cena que descobre k ela tem a doenca e adulta ai que esta o pico do filme..se fosse uma crianca mesmo isso ja esperavamus..mas eu nunca poderia esperar que ela fosse uma adulta..muito bem colocada essa parte parabens ao diretor enganou geral…………..

  14. Anônimo

    eu sou fã da orfã mais que que todo mundo

  15. Marlon Ferreira

    kkkkkkk têm críticos que por estudarem e “entenderem” sobre alguns raros assuntos, fazem comentários (como o feito aqui no texto) que eu vejo como “arrogantes”, naturalmente toda pessoa que esta egoisticamente “por dentro” de alguns assuntos cai no seu erro de inteligência que se traduz em insensatez e soberba.
    O que o filme quis trazer ele trouxe, que era envolver o suspense em torno da “garotinha” inteligente e manipuladora, e esse fato logicamente de uma menina de 9 anos ter tal habilidade é questionável, o que levar ao telespectador a ver o que realmente aquela menina traz em seu passado( ja que o filme lhe dar tais perguntas, pois a atriz principal é a que mais questiona), e esse fato e o que faz prender o telespectador a querer ver e chegar até o final do filme com uma grande surpresa de que teria uma boa explicação para a habilidade incomum da garota, e foi isso que o filme mostrou, mostrando o lado da doença rara que ela tinha, particulamente fiquei bastante satisfeito com o filme e seu enredo, não têm o que reclamar, na minha opnião acho exagerado demais dizer que o filme é uma “pequena porcaria” e “superficial” como foi colocado pelo autor do texto Silvio Tavares.

  16. michelle

    eu concordo plenamente com o comentario do jair,o final foi extremamente surpreendente……sinceramente pensei que no final descobriria que na verdade a menina tinha algum pacto demoniaco ou algum encosto como na maioria dos filmes que ja assisti esse final foi de mais….ou melhor o filme todo e otimo….adorei nao achei superficial.e nao acho que por causa do filme o fato de se adotar crianças mais velhas passara a ser visto com maus olhos pelo contrario o filme fala sobre uma doença pouco conhecida pela sociedade……..

  17. mariana

    “crítico de cinema sem nunca ter entrado numa escola para tal”. Realmente da pra perceber. Acho q ele so conhece a palvra “estúpido”. E nem sabe sobre o gênero suspense.Simplesmente ele não gostou do filme quer que as pessoas não gostem também, talvez por ele ter esperado algo que não encontrou. Pessoas egoistas são assim. Só vêem sempre um lado das coisas. É uma pena !!!

  18. Anônimo

    Pelo amor de deus…enxerguem a realidade…o filme é completamente imbecil em sua metade final…um final babaca montado por um roteirista babaca que quis bancar o “espertão”. E MUITA gente caiu na dele. É por isso que vemos filmecos como Lua Nova faturando horrores em bilheteria. É O FIM DO MUNDO.

  19. Virginia

    Adoooorei akela garotinha ..a loirinha ..ela é a coisa mais lindaa e ja vii …tirando isso .o filme é horrivel .. **(

  20. sara

    cada um tem o direito de falar o q pensa
    o q eu acho é q esse filme é muito bom
    as pessoas q criticaram sao umas desocupadas e cegas, nao sabem o q é bom

  21. Daniel Dalpizzolo

    As pessoas que criticam as pessoas que criticam filmes chamando-as de cegas não são desocupadas. Só estão lutando pelo que consideram justo, certo?

  22. Murilo

    Um filme interessantíssimo pois nos mostra uma das muitas doenças equisitas que nos rodeiam…

  23. monica

    alguem sabe como se chama essa doença tao rara? e como se chama tambem a doença ao contrario ou seja, pessoas que crescem muito e ficam com a mente um pouco infantil. por favor respondam…

  24. Érica

    eu amei o filmee… amei aquele menino, o Daniel… chorei muito na parte q ele quase morreu mais… fazê o q ! o filme é bom… e Monica, eu tbém faço essa pergunta: QUE DOENÇA Q FALAM E É ESSA ??
    não sei se essa doença tem haver com manipulação (se isso existir de verdade) e etc …

  25. Érica

    eu amei o filmee… amei aquele menino, o Daniel… chorei muito na parte q ele quase morreu mais… fazê o q ! o filme é bom… e Monica, eu tbém faço essa pergunta: QUE DOENÇA Q FALAM E É ESSA ??
    não sei se essa doença tem haver com manipulação (se isso existir de verdade) e etc…

  26. Bruna

    essa “sara
    sexta-feira, março 5, 2010 às 5:37 pm
    cada um tem o direito de falar o q pensa
    o q eu acho é q esse filme é muito bom
    as pessoas q criticaram sao umas desocupadas e cegas, nao sabem o q é bom”
    diz que cada um tem o direito de falar e xinga os críticos de desocupados e cegos –‘ ai ai esse mundo ta perdido ¬¬

  27. Vlademir Lazo

    É um suspense que dá pro gasto, principalmente pelas surpresas, mas é filme pra ver só uma vez e esquecer.

  28. nascimento

    achei o filme super interessante,inclusive parabéns ao diretor roteirista,pois nunca imaginaria q a menina era uma mulher e ainda mais,com uma anomalia.Sou estudante de psicologia e ainda não conhecia essa anomalia e acredito q muitos não conseguiram adivinhar o passado da orfã,ninguem consegue explicar ou deduzir o q está acontecendo,então o q me prendeu a assitir até o final foi isso(suspense/curiosidade).E ainda mais,tenho certeza q muita gente não conhece essa anomalia o q torna-se surpriendente o aprendizado e conhecimento.Todo filme q eu assisto,não é só p destrair ou passar o tempo na verdade procuro entender o q acontece isso sim acho importante,pois aprendo o q ainda não conheço.

  29. Gislaine

    Gostei muito do filme, pois relata uma doença que e pouco conhecida, em um psicopata em forma de criança, que consegue se manipuladora, ardilosa e com um inteligencia incrivel.
    Não e um filme de terror e sim de suspense, que aos poucos as peças vai se encaixando até chegar ao seu desfeicho com a revelação da doença, so não gostei do marido ter descoberto que a menina não era aquilo que ele pensava.

  30. camila

    para quem copia história como estória
    não dá pra confiar muito no seu comentário

  31. K. Lincoln

    Na verdade a palavra “estória” foi criada para designar qualquer narrativa ficional.Mas, com o passar do tempo, “história” e “estória” passaram a significar a mesma coisa.Hoje,apresar do vocábulo estar entrando em desuso,ainda é correto o uso de “estória”…

  32. Marcos

    Olá, pessoal!
    Gostei do filme, mas acho q o histórico psicológico da atriz principal (a orfã) poderia ter sido mais e melhor explorado. Vcs não concordam?
    Não sou especialista em cinema e nem em psicológia. Contudo, gostaria de fazer uma pergunta q acho pertinente sobre o filme: poderia a Esther possuir algum complexo de édipo? e se a resposta for sim (ou naum..) poderia algum estudioso do assunto nos explicar o perfil psicológico dela?
    Muito obrigado!

  33. Milenaah'

    O filme é d+ !! Desde quando uma menina de 9 anos com um disturbio pouco conhecido que de um momento para outro passa a ter 33 anos ? E então acredito que você não tem a capacidade mental suficiente para entender a complexidade de um filme como esse. O fato de ele ter 33 anos explica tudo! Como ela já poderia tocar piano, saber a linguagem de sinais, falar um ingles tão bom mesmo vindo de outro país. O porque dela nunca querer ir ao dentista, o constante ciúmes e rivalidade com kate. E é compreensível que até esse ponto ela não tivesse sido descoberta ainda, contando que ela só passou uma pequena quantidade de tempo em cada casa que ela permaneceu. É incrível como Esther manipula todos facilmente e mostra sua doçura, os sintomas de outra doença/síndrome que seria uma explicação para as atitudes pouco usuais da menina de 9 anos. Mas então de um momento para o outro ela não tem mais 9, ele tem 33. Como ela pode ser dissimulada até o final, quando na última cena do filme, ainda dentro do lago congelado Esther tem a audácia de falar “me ajude mamãe”. O filme foi incrivelmente bem feito. Sem contar o que várias pessoas já falaram… você não sabe fazer críticas de cinema. Nunca se conta o final. Sob a sua lente, você acho o filme péssimo. Sob a minha lente, achei sua crítica e o modo como você a escreveu péssimo.

  34. Rafael

    Filme sessão da tarde, mas segura o tranco legal.

  35. Anônimo

    Ahh!
    O q eu vou comentar é tão óbvio que várias pessoas de bom senso já o fizeram: Julio, vc como crítico é péssimo!!
    Na certa ficou com inveja de quem criou o filma, não é?
    Eu que NÃO costumo gostar de filme de suspense, achei esse fantástico, conseguiu me prender a atenção… E o final surpreendente!
    Um filme q não se vê há tempos de tão boa qualidade…
    Acho q já tá na hora de vc encerrar esse seu blog, pq como crítico, já disse, vc é péssimo!
    Quer ser cult de verdade? Se dedique a assistir e comentar apenas filme europeu então
    Seu mané

  36. luckbell

    nei sei o que falar. assita o filme realmente nao leia resumo na net .assista primeiro antes de falar o filme e maravilhoso todos os atores entraram em seus pertsonagens de maneira certa nao julgue um filme pela capa amei o filme muito bom mas triste

  37. Anônimo

    Silvio na moral?
    Tu é um otário, perdi tempo foi com sua pessima critica, o que tem que ser criticado aqui é vcê por fazer uma bosta de uma critica nada a ver.
    Flws troxa.

  38. Sabe porque vc viu comentários bastante positivos? Porque esse filme é perfeito, e vc não entende nada sobre cinema, como podes falar mal de um filme, tão original e perfeito como esses. Nada a ver sua critica irmão, não pude ver falarem tão mal do meu filme preferido sem dizer nada!

  39. Victor Ramos

    ” Sabe porque vc viu comentários bastante positivos? Porque esse filme é perfeito, e vc não entende nada sobre cinema, como podes falar mal de um filme, tão original e perfeito como esses.”

    Antes de tudo, amigo, procure saber um pouco mais o que é cinema (o básico já basta), pois verá que existe um filme chamado ‘O Anjo Malvado’, e perceberá que A Orfã não é nem um pouco original nem perfeito. Vc só fez falar e falarmerda atrás de merda, mas não apresentou nenhum argumento válido para defender seu ponto de vista. Se gosta tanto desse ”filme perfeito” e quer defende-lo, apresente argumentos válidos, e não aja como um ignorante. Nada pessoal, apenas uma questão de justiça.

  40. Victor Ramos

    Afff… Fakes criados por uma pessoa só, todos esses aí que estão esculaxando o Silvio na base da ignorância.

  41. Victor Ramos

    Bom, o filme é mediano, aliás, levando em consideração as últimas produções do gênero, é bem acima da média. Mas original? Perfeito? Humm….Existe alguém que precisa conhecer cinema…

  42. Anônimo

    o meu filho o filme é exelente tah ! e + uma coisa historia é com “h”(estória)ops

  43. antoine

    Realmente dá pra ver que você não é crítico, a tirar pela sua linguagem vulgar e reclamação genérica, que nada contribui para que se possa acreditar que você realmente tivesse razão. Quem sabe quando voce começar a criticar com respeito e cautela, as pessoas respeitem o que você escreve.

  44. Eu achei mto interessante o filme, apesar de existir vários comentários negativos sobre ele, mais eh mto bom. Conta a estória de uma mulher que por causa de uma doença, fica com uma aparência idêntica à de uma criança, se passa por criança, e eh enviada para um orfanato, lá, as familias à adotavam, e ela seduzia os pais, e infernizava a vida das mães, qnd não conseguia nada com os pais, ele os matava, e em seguida, a família td, mais qnd ela encontou uma família, que tinha uma mãe guerreira, ela se deu mto mal, ela seguia matando quem atravessava seu caminho de forma horripilante, mais qnd sua “mamãe” deu a ela o que merecia, o filme acaba. É um filme mto bom, e merece mto aplausos, pois tem um começo, que é bem feito, um meio, intrigante, e um final merecido… Eu assisti, e recomendo.. Mto bom msm!!!!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s