It – Uma Obra-Prima do Medo (It – Tommy Lee Wallace, 1990)

Um homem aparentemente feliz janta tranqüilo com sua família. O telefone toca, ele levanta e vai atende-lo.  A expressão que antes era de alegria e de tranqüilidade é substituída por uma palidez e tremedeira. Gaguejando (coisa que não fazia até atender o telefonema) ele mal consegue responder a voz do outro lado que insiste em lhe falar “Ele voltou, Richard”. Considerado por muitos como uma das melhores adaptações do escritor norte americano Stephen King, It – Uma Obra-prima do Medo, conta á história de oito pessoas que enfrentaram seus maiores temores quando criança e precisaram voltar a faze-lo mais uma vez agora, já adultos e com familia. 

It (a coisa), é um ser alienígena, que, ironicamente, usa a forma de um palhaço para atacar impiedosamente criancinhas. A criatura escolhe a pacata cidade de Derry, no Maine, para palco de suas atrocidades.  Nessa pequena cidade, oito crianças se vêem vulneráveis a esse ser, e sabendo do fim trágico que certamente lhes reserva, as crianças resolvem então se unir, sabendo que esse seria o único jeito de terem alguma chance contra a impiedosa criatura. Nesse aspecto, o filme tem certas semelhanças com outra obra de Stephen King, “Conta Comigo”, no qual a amizade e a confiança são as únicas armas capazes de vencer as dificuldades (e um estilingue). As crianças saem vitoriosas do confronto, mas não conseguem exterminar a criatura por completo, apenas a ferir, e ali mesmo, todos fazem um juramento, que se um dia “a coisa” retornasse, eles se uniriam novamente e a enfrentariam mais uma vez.

Trinta anos depois dos acontecimentos que traumatizaram a todos, a criatura volta a cidadezinha fazendo de vitima uma nova criança. Michael Hanlon, único dos oito amigos que continuou a viver na cidade, telefona para todos os outros os lembrando do juramento que haviam feito trinta anos antes. E é nesse momento, que todos os seus traumas que pareciam estar superados ou ocultos, vão á tona novamente, fazendo assim com que todos voltem a relembrar as terríveis experiências que tiveram com “a coisa”.

Como na maioria dos filmes que são baseados nas histórias de Stephen King, esse aqui também usa como bengala o terror psicológico de seus personagens, e pelo fato de inicialmente ter sido feito para ser uma mini-série de televisão, eles puderam investir bastante no desenvolvimento do medo de cada um deles, fazendo assim com que todos os personagens tenham um papel igualmente importante no filme. Outro ponto alto é Pennywise, a criatura que aterroriza as crianças. Encarnado na medida certa pelo nem sempre brilhante Tim Curry, aqui ele faz uma atuação que beira a perfeição, com um misto de palhaço bonzinho e engraçado, ele muda radicalmente para uma expressão aterrorizadora (graças também, a ótima maquiagem).

 Mas o filme não é perfeito, ele falha vergonhosamente em seu final, culpa do Stephen King e também do diretor. Como havia dito antes, o ponto alto do filme é justamente o terror psicológico e a aparência excêntrica do palhaço It, e o que estraga o final é justamente acabarem com os dois. Quando o clímax chega, e os amigos já adultos voltam a enfrentar a criatura, só que dessa vez em sua verdadeira forma, é decepcionante. A história fica comum, como inúmeras que tem hoje em dia. Todos partem pra porrada em cima de uma criatura que é constrangedoramente ridícula, muito mal feita até para os padrões da época. Sem esse defeito, certamente esse seria um dos melhores filmes de terror já feito. É claro que o defeito é mínimo (pelo menos pra mim) se comparado a todos os acertos. Mas é broxante saber que o filme poderia ter se transformado realmente em uma obra-prima, assim como o titulo rotula. Mas a culpa disso não é apenas do diretor, o maior erro vem da fonte onde foi inspirado, o erro foi da megalomania do Stephen King em tentar fazer um confronto histórico quando o melhor era deixar que as coisas seguissem o caminho que estavam tendo.

 Mas no geral, o filme ainda é um dos melhores do gênero, e o melhor a fazer é encarar o final como uma mera escorregada. Nenhum filme é perfeito, mas que esse aqui chegou perto, chegou.

3/4

Thiago Duarte

Anúncios

13 Comentários

Arquivado em Comentários

13 Respostas para “It – Uma Obra-Prima do Medo (It – Tommy Lee Wallace, 1990)

  1. luan correia

    pois é e por conta dessa mera escorregada vai ser + uma mera desculpinha esfarrapada pra refilmar essa bost*…escreve, vai ser um dos prox a ganhar refilmagem
    (bost é maneira de dizer, é um filmao mesmo)

  2. Thiago

    Ótimo texto, grande filme…penso mais ou menos igual tu…o final é sim, meio brochante, mas é um erro que se dilui em meio a tantos acertos. Adoro esse filme e cada revisitada me faz gostar mais, apesar de tb lamentar o final. Graças aos céus, a versão lançada em dvd por aqui é praticamente a integral, com mais de 180 minutos e não a do vhs que tinha 150/160 minutos.
    Item indispensável em dvdtecas de cinéfilos.

  3. Jessika

    Lindo!!!
    Otimo comentario, exatamente o que eu penso sobre esse filme!!!

  4. Nunca vi o filme, mas que medo dessa terceira imagem hein!?! Credo! kkkkkkkkk

  5. palhaços sempre me assustaram… sempre desconfiei deles, acho q é pq eu vi cenas dessa vi quando era mais novo.

    mas o fato é que não assisti o filme ainda e olha q gosto de terror e gosto do stephen king.

    anotei aqui nos filmes a serem vistos!

    valeu a dica, abraços!

  6. Rodrigo Jordão

    Valeu, volte sempre! Mas na verdade trata-se de um filme made for tv, nem sei se existe em DVD aqui, existe? Enfim, também nunca vi, mas sempre tive muita curiosidade em vê-lo. E também nunca gostei de palhaços hehe…

  7. Angelo Antonio Cordeiro de Abreu Silva

    Existe em DVD sim, eu já vi na locadora.

  8. Thiago Duarte

    Tem DVD sim, aluguei uns tempos atrás e dei uma revisada. Não digo que acho o filme ruim, mas ele caiu consideravelmente, e não apenas pelo final. Mas de qualquer forma, ainda continua bem bom.

  9. Íria

    [b][navy]Não tenho trauma de nada!

    Agora quando o assunto é palhaço…

    Na infância assisti ao filme: “It, Uma Obra Prima do Medo”. Excelente história por sinal, porém nada adequada para crianças. Assisti de teimosa. Nuca gostei de palhaços, não via graça naquilo, depois desse filme ganhei um trauma e pavor desses “monstros”.

    Lembro-me que ele aparecia em ralos e bueiros… a cena do banheiro com os chuveiros se movimentando me dá arrepios! Parece que estou vendo agora! E isso foi há uns 17 anos!!!!

    Então, depois disso, quero distância de palhaços e não suporto ralos. Uma vez eu estava tentando criar coragem para tomar banho, olhando para o ralo do banheiro quando minha mãe, querendo entender o motivo da demora entrou no banheiro e falou “Oi”. Ela tem a voz muito grave e eu morrendo de medo do ralo jurava que era de lá que tinha saído aquela voz! Saí correndo nua pela casa aos berros e chorando!

    Que situação hein?

    Excelente posto sobre o filme, até me deu vontade de rever… será que o trauma passa?

  10. Thiago Duarte

    sair correndo nua pela casa… :B

  11. djonata

    putz, inevitável não ficar vislumbrando a cena. :B

  12. Haha, em breve vocês vão ver a nova edição em DVD de It com um aviso em linhas menores “Atenção: assistir a este filme pode provocar correria pelada e em desespero” :B

  13. Lucas

    IT é particularmente uma das minhas histórias favoritas. Admito que o final do filme dá uma bela escorregada, mas isso não tira o crédito da história como um todo. Ainda não li o livro, mas pretendo comprá-lo. O filme ao meu ver tem um grande significado, principalmente pelo fato de envolver a superação dos medos e a força da amizade.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s